Campanha solidária

Participe da campanha “Empreenda no Sorriso de Uma Criança“.

Para esta edição do evento, o #swcuiaba, traremos outro diferencial, a oportunidade de amparar a quem precisa.

Além de empreender e inovar, você poderá contribuir com o Núcleo de Ações Voluntárias (NAV) do Governo do Estado de Mato Grosso e promover boas ações neste final de ano.

No dia do evento, traga um brinquedo para ser doado às crianças carentes da nossa região e tornem suas festividades mais calorosas!

A doação é facultativa e contamos com o apoio de todos!




Guia do Participante do Startup Weekend Cuiabá

Guia do Participante do Startup Weekend Cuiabá.

Startup Weekend Guia do Participante
Clique aqui e baixe aqui do Guia em PDF.




Faça parte do StartupMT

Quem Somos
O StartupMT é uma Associação de Empreendedores e Startups de Mato Grosso.

Histórico
O grupo foi criado em 2012 por 3 empreendedores da área de sistemas/internet.
As primeiras discussões relacionadas sobre Startups iniciaram através de um grupo no Facebook.
Logo em seguida, foram promovidos os primeiros eventos no formato de Meetup (apresentação de ideias/projetos).
O grupo criado no Facebook conta hoje com mais de 1.500 participantes.

Objetivo
Queremos construir uma comunidade que promova a discussão e a troca de conhecimento entre os empreendedores inovadores de Mato Grosso.

Missão
Desenvolver o ecossistema de Startups em Mato Grosso, disseminando conhecimento, fortalecendo negócios e empreendedores inovadores.

Algumas Startups de Mato Grosso:

  • Agensite – www.agensite.com.br
  • Boleto Simples – www.boletosimples.com.br
  • EstudaVest – www.estudavest.com.br
  • Task Labs – www.task-labs.com
  • SaveGrid – www.savegrid.com.br
  • Lei a Lei – www.leialei.com.br
  • Procurix – www.procurix.com.br
  • Dix Cursos – www.dixcursos.com
  • Campeões Nato – www.campeoesnatos.com
  • Técnico Rápido – www.tecnicorapido.com.br
  • Kinin – www.kinin.com.br
  • TreinaTOM – www.treinatom.com.br

Mais inconformações:

Site: www.startupmt.com.br.
E-mail: contato@startupmt.com.br
Página no Facebook: www.facebook.com/startupmt
Grupo no Facebook: www.facebook.com/groups/startupmt

Cadastre-se sua startup e associe-se ao StartupMT.




Você sabe o que é uma Startup?

Você sabe o que é uma Startup
Você sabe o que é uma Startup? #swcuiaba

O conceito mais clássico e literal de uma Startup seria: “grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza“.

Mais podemos simplificar é dizer que são “empresas ou negócios nascentes e inovadores, geralmente de base tecnológica“.

As Startups, normalmente de base tecnológica, possuem espírito empreendedor e uma constante busca por um modelo de negócio inovador.

Este modelo de negócios é a maneira como a Startup gera valor – ou seja, como transforma seu trabalho em dinheiro.

Geralmente as Startups criam modelos de negócio altamente escaláveis, a baixos custos e que podem trabalhar em escala mundial.

Startups não são somente negócios de internet. Elas só são mais frequentes na internet porque é bem mais barato criar negócios online, do que empresas físicas como uma indústria.

Podemos citar como exemplos de Startups de sucesso no Brasil:

  • ZeroPaper
  • TruckPad
  • Conta Azul
  • Hand Talk
  • Easy Taxi
  • iFood
  • Entre outras.

Em Startups outra palavra que surge com frequência é investimento. Devido ao ambiente de incerteza em que é desenvolvido o negócio, até que o modelo certo seja encontrado, o investimento utilizado é de risco.

Mas existe uma série de investidores que buscam por empresas Startups para investirem, por isso o empreendimento que desenvolve uma boa ideia inicial possuiu mais chances de sucesso em encontrar investidores.

As Startups enfrentam vários desafios, pois se encontram em um campo de negócios arriscado e incerto, especificamente na sua fase inicial e por isso precisam ser financiadas de modos diferentes em cada fase do seu desenvolvimento.




Fazendo o Pitch perfeito

Fazendo o pitch perfeito
Fazendo o pitch perfeito – #swcuiaba

Apresentar uma ideia de startup para um investidor nunca é fácil. Mas é ainda pior quando o empreendedor tem apenas alguns minutos para explicar por que sua ideia merece um aporte. Essa apresentação-relâmpago é chamada de pitch, e pode acontecer em diversas ocasiões.

Para cada oportunidade, a forma de exposição da ideia muda. Segundo Guilherme Junqueira, diretor executivo da ABStartups, em um lugar com muitos investidores, a apresentação deve ser feita para gerar uma nova conversa mais para frente. Se for um bate-papo, a exposição deve enfatizar o histórico da ideia e onde o empreendedor quer chegar com o dinheiro buscado.

Segundo Ana Fontes, integrante do MIA (Mulheres Investidoras Anjo) e fundadora da Rede Mulher Empreendedora, a grande maioria tem uma ideia e acha que ela é fantástica. “A dificuldade está em mostrar como ela é um negócio escalável em um curto espaço de tempo”, afirma.

Marcílio Riegert, CEO da aceleradora Start You Up, avalia que há uma melhora no preparo antes das apresentações. “Acho que todo esse movimento de empreendedorismo que acontece no Brasil, de uns quatro anos para cá, faz com que as pessoas pesquisem”, diz. Porém, ele destaca que um desafio é a falta de clareza sobre quanto dinheiro de fato é necessário.

Veja, a seguir, dez passos que o empreendedor deve seguir antes de vender sua ideia de startup para um investidor ou para uma aceleradora:

1. Treine a apresentação e peça a opinião de pessoas próximas

Não basta o empreendedor ter uma boa ideia se não sabe como apresentá-la. “Ideia todo mundo tem, no chuveiro até, mas o que faz você ser uma ótima startup é sua capacidade de execução e seus recursos”, afirma Junqueira. Ele também recomenda procurar mentores antes de partir para a busca de investimentos.

Para Ana, o que vale mesmo é a combinação de ideia e execução. A investidora recomenda testar a ideia com amigos próximos e participar de competições, mesmo que elas não rendam investimentos. “Apresentar a ideia treina para quando você tiver de buscar investimento de verdade, e mostra se as pessoas querem o produto, se há um mercado”, completa.

2. Estabeleça um contato com possíveis investidores

É possível começar a se relacionar com possíveis investidores antes mesmo de marcar uma apresentação com eles. Nesse caso, o empreendedor deve estudar cada investidor e ver se há algum no segmento em que pretende atuar. “Pegue o cartão deles e, uma vez por mês, mande uma atualização com sua evolução. Deixe que o relacionamento construa um jeito de chegar no investidor quando você precisar”, ensina Junqueira.

3. Esclareça qual a solução que sua startup promete

Muitos empreendedores abordam um investidor sem saber ainda qual é a solução que eles querem propor ao mercado. “Não importa que ela ainda não esteja perfeita. Essa solução vai abrir o precedente de qual é o modelo de negócios da empresa, que a gente, como aceleradora, pode ajudar a gerar”, afirma Riegert.

4. Saiba quais são seus concorrentes diretos e indiretos

Escutar que o negócio “não tem concorrência” não é novidade para investidores. Isso é um indício de que o empreendedor pensou apenas nos seus concorrentes diretos. “Ele deve olhar não só quem tem a mesma ideia, mas também outros processos que atendem a mesma necessidade”, diz Ana. Por exemplo, um aplicativo de táxis não compete apenas com outros apps, mas também com os táxis de rua e com outras formas de transporte.

Além disso, o empreendedor deve saber por que sua ideia é melhor que a da concorrência já estabelecida. “Às vezes, essas ideias não ficam muito claras na apresentação. Um bom atendimento e um produto de qualidade não diferenciam, são obrigação”, afirma a investidora.

5. Dimensione qual o mercado da sua ideia

Além de saber quem são os envolvidos no mercado, também é preciso ter, em números, informações básicas sobre o segmento. Riegert recomenda responder, na apresentação, qual o tamanho do mercado ou da região (se for um negócio local) e quanto dinheiro é movimentado.

6. Tenha uma versão de teste feita e reconheça possíveis falhas

É recomendável que o dono de uma startup já tenha um mínimo produto viável (MVP), ou seja, um teste do produto para identificar possíveis falhas. E não precisa ser um produto finalizado. “Se o empreendedor não tem um site pronto, pode testar em uma plataforma gratuita, por exemplo. Ele tem que conseguir mostrar que já sabe quais são as dificuldades e que ele tem como resolver”, explica Ana.

Junqueira também afirma que a ideia deve ter um histórico, e não apenas projeções. “No Excel, todo mundo é rico. Não adianta só botar números em uma planilha. Tenha um passado para mostrar. Mostre os resultados que você conseguiu, com investimento próprio”, recomenda.

7. Comece o pitch com o que for mais importante

O que é mais importante priorizar na hora da apresentação? Isso depende do nível de maturidade de sua empresa. No começo, é mais importante a figura do seu time. “Tente trazer um histórico de trabalho bom dos seus sócios para trazer segurança para os investidores”, recomenda Junqueira.

Riegert concorda com a importância da equipe no começo do negócio. “Você pode ter uma solução horrorosa, que pode melhorar. O mercado pode não estar bom, mas há uma outra forma de entrar. Mas, sem uma equipe boa, não adianta”, afirma.

Se seu produto já tem alguns indicadores de resultado, Junqueira afirma que é isso que se torna mais relevante, junto com o tamanho do mercado atingido e a possibilidade de uma rápida escalabilidade da ideia.

8. Pense em maneiras de tornar seu negócio rentável

A preocupação com a sustentabilidade do negócio é algo muito valorizado por investidores. “Só o fato de você ir atrás já mostra uma preocupação, mesmo que essa ideia de monetização não seja a que de fato acontecerá. O empreendedor deve pesquisar e ver as opções”, afirma Ana.

Riegert destaca que essa é uma dificuldade recorrente. “O ideal é ter o modelo de negócio pronto, mas essa não é a realidade. Muitos ainda acham que é fácil rentabilizar um negócio só com propaganda”, completa.

9. Explique por que você precisa daquele investimento

Na hora de justificar o investimento, o empreendedor deve pensar em áreas do negócio, e não apenas em infrastrutura. “Tenha um objetivo mais específico, como marketing ou vendas, para escalar o negócio e conseguir mais clientes. Por exemplo, não adianta dizer que vai usar o dinheiro para montar um escritório quando ele não é essencial”, recomenda Ana.

10. Escute as sugestões feitas durante e após o pitch

Não adianta nada o empreendedor ter a melhor solução do mundo e não saber ouvir. “A empolgação é muito alta e a expectativa também, o que faz com que o empreendedor acabe não ouvindo sugestões. Isso é um passo gigante para o erro. Todos estamos aprendendo, inclusive o investidor”, diz Riegert.

Para Junqueira, ter todas as respostas não faz o empreendedor ser necessariamente bom. “Ele deve ter humildade para saber reconhecer uma pergunta que não tem dados para responder. O empreendedor deve anotar o questionamento e dizer que trará a resposta depois, e não querer saber tudo”.

Por Mariana Fonseca
Publicado originalmente no site da Exame.com.

Mariana Fonseca é repórter do canal PME de EXAME.com. Seu e-mail é mariana.correa@abril.com.br.




Se liga no Canvas!

Se liga no canvas - #swcuiaba
Se liga no Canvas – #swcuiaba

Entender a importância dos modelos de negócios é algo fundamental para todo o empreendedor. Num mundo em que a velocidade das mudanças é cada vez mais acelerada, assim como não controlamos os aspectos externos que afetam nossa empresa (macroeconomia, concorrentes, novos entrantes, oscilações do mercado, consumidor cada dia mais exigente…), torna-se imprescindível ter capacidade de entender / ajustar / adaptar / mudar / inovar no modelo de negócios para sobreviver e crescer.

Essa difícil tarefa se torna mais palatável se usarmos uma ferramenta visual que facilita esse processo de concepção / criação / mapeamento / repensar / reinventar o modelo. Desde 2010, com o lançamento do livro “Business Model Generation”, de Alex Osterwalder & Ives Pigneur, o Canvas (ou em português O Quadro) vem se afirmando como principal aliado do empreendedor que quer aperfeiçoar seu Modelo de Negócio.

O tema é extenso, apaixonante e abrangente (e vamos nos referir ainda muitas vezes ao Canvas nesse blog), por isso é importante conhecermos os nove blocos para entender como a combinação deles pode facilitar a criação de uma empresa única, que oferece um valor percebido para um ou mais segmentos de clientes:

1. Proposta de valor: Qual é a razão, o motivo pelo qual as pessoas adquirem seus produtos e serviços? Qual dor você está resolvendo? Qual o motivo que os clientes compram seus produtos e serviços?

2. Segmento de Clientes: Quem são os clientes? Possuem um perfil específico? Como estão agrupados? Onde estão localizados? Há uma necessidade comum a eles?

3. Canais: De que forma seus produtos ou serviços vão chegar até os clientes? Como eles encontrarão / vão interagir com seus produtos ou serviços?

4. Relacionamento com Clientes: como fazer para conquistar e manter uma boa relação com os clientes, para ampliar as vendas e para que eles não troquem o negócio por um concorrente ou substituto?

5. Receitas: quanto e como os clientes vão pagar pelo que vai ser oferecido.

6. Recursos Principais: quais os recursos necessários para realizar a proposta de valor, o que é preciso para fazer o negócio funcionar.

7. Atividades Principais: quais as ações necessárias para a realização da proposta de valor, ações importantes para realização do negócio.

8. Parceiros Principais: identificação dos fornecedores e outros atores que irão apoiar a realização da proposta de valor, aliados para otimizar e reduzir os riscos do negócio.

9. Estrutura de Custos: quanto vai ser gasto na realização da proposta de valor, quais os custos envolvidos para operação do negócio.

Os nove blocos possuem uma relação entre eles, sempre considerando a proposta de valor, que está localizada exatamente no meio do quadro. Há várias maneiras e características de usar esse quadro, e vamos ainda falar sobre isso por aqui.

Por enquanto, para quem está conhecendo pela primeira vez essa ferramenta, sugiro que acessem a cartilha que desenvolvi para o Sebrae Nacional e que detalha o uso do Quadro de Modelo de Negócio – Faça o download aqui da cartilha.

Ou ainda podem assistir ao vídeo que tenho no YouTube que gravei para o programa Alma do Negócio, onde explico passo a passo como construir um Canvas – https://youtu.be/Cjkq_jsuFTs. No CIC ESPM há um curso presencial que recomendo muito, sob a liderança da Guta Orofino e do Renato Nobre. Mais informações aqui.

Quem já conhece o Quadro, deve sempre usá-lo como aliado para criar novas hipóteses para diferenciar e inovar no modelo. Lembre-se que um Canvas na parede e uma mente aberta a novas ideias podem ser importantes passos para visualizar a inovação no seu negócio.

Por Marcelo Pimenta @menta90.
Publicado originalmente no Blog do Empreendedor do Estadão PME.

Marcelo Pimenta é jornalista, profissional de marketing na ESPM, consultor do Sebrae, criador do Laboratorium, estrategista, design thinker.
Mais informações em www.pimenta.com.br ou pelas redes sociais @menta90.




Principais Dúvidas #swcuiaba

Escritas abaixo estão as dúvidas mais comuns da galera do Startup Weekend Cuiabá. Se sua dúvida não está aqui envie um e-mail para cuiaba@startupweekend.org que nossos calangos responderão em breve!

Que idéias serão aceitas?

O Startup Weekend Cuiabá terá como foco e incentivo a criação de negócios digitais, que buscam resolver questões cotidianas.

É importante que seu projeto ainda esteja somente na idéia. Não serão aceitos projetos já iniciados e como um dos objetivos é aprender a desenvolver bons modelos de negócio, é legal deixar os projetos de diversão ou filantrópicos em casa. Usem e abusem da criatividade para criar um modelo de negócios inovador, escalável e que tragam, a todas as comunidades, melhorias na qualidade de vida.

Quem pode participar do #swcuiaba?

Idealizamos o evento para pessoas que objetivam alterar a realidade através de projetos inovadores. Os participantes são divididos em três categorias:

Negócios: Para pessoas com perfis relacionados à área de negócios, relações públicas e marketing;

Designer: Para pessoas com qualquer experiência em design. (gráfico, UX / UI, etc);

Dev : Para o pessoal que gosta dos CODE (programmers, devs), resumindo, se você programa aqui é o seu lugar!

Esta divisão objetiva garantir a homogeneidade das equipes!

Posso levar minha atual startup para o #swcuiaba?

Não galera! O evento é para novas idéias que podem gerar um projeto! Porém, se você já tem uma startup, pode participar do #swcuiaba, aproveitar o networking e descobrir novos projetos.

E se alguém roubar minha ideia?

Na boa… Para sua idéia ser um negócio de sucesso as pessoas tem que conhecê-la e principalmente, comprar. Quando você fala da sua idéia, recebe muitas dicas importantes, as pessoas que colaboram e você encontra oportunidades que te ajuda a avançar no projeto.

Não se esqueçam de verificar as produtos já existentes no mercado nacional e internacional. Cabe a você identificar essas iniciativas, propor parcerias e até mesmo pensar em estratégias que lhe darão um diferencial competitivo.

Além de que no #swcuiaba você encontrará sócio ou parceiros que tornarão a sua idéia uma realidade.

Não tenho nenhuma idéia, posso participar?

Primeiro que sim, você tem alguma idéia, mesmo que ainda não saiba, talvez o evento te ajude a despertar seu lado criativo e empreendedor! Caso ela não apareça, poderá participar do evento, escolher uma equipe já formada e contribuir de várias maneiras.

Vai ter comida?

Sim! Café da manhã, almoço e jantar, já incluso no valor do ingresso.

Um Startup Weekend dentro de um estádio de futebol?

Pois é… um espaço inspirador que contribuirá para o desenvolvimento de grandes idéias, além de proporcionar uma vista incrível.

Não posso ir na sexta, posso formar equipe no sábado?

Formar equipe não! Mas você pode sim chegar no sábado e entrar em uma equipe que já foi formada.

O que eu levo?

  • Ingresso;
  • Documento de identificação com foto;
  • Notebook (essencial para trabalhar);
  • Cartões de visita (networking).

Caso leve algum equipamento eletrônico, certifique-se de levar cabos e extensões para conectá-los a tomadas, lembrem-se também que toda a energia do local é de 220V!

Como será no decorrer do evento? Que horas teremos atividades? Que horas termina?

O credenciamento tem início no dia 18 de dezembro ás 18:30, no horário de Cuiabá (GMT -04:00), sexta-feira. Recomendamos chegar pelo menos 45min antes, para facilitar o acesso ao local. Confira nossa programação!

Já comprei meu ingresso, agora é só aguardar?

Não! agora você vai contar para todos seus amigos e convidar eles para virem para o #swcuiaba, além de, amadurecer suas idéias, pensar no seu modelo de negócio, na execução do projeto e em como você vai fazer dinheiro com isso!

Fique atento nas nossas redes sociais e nos emails!!!

Se sua dúvida não apareceu aqui, pergunte para cuiaba@startupweekend.org, que temos calangos espertos para atender seus questionamentos.




Pin It on Pinterest